Crescimento da economia alemã revisto em alta

Publicado:

O crescimento da economia alemã para este ano foi em revisto em alta pela Comissão Europeia. Na previsão de Primavera, Bruxelas mostrou-se ainda mais otimista em relação ao crescimento da maior potência económica europeia.

 

A Comissão Europeia prevê um crescimento do Produto Interno Bruto – PIB – da economia alemã de 1,9% para este ano. Para 2018, as previsões lançadas apontam para 2,7%.

 

Como base para a previsão de primavera estão indicadores como o consumo interno e o emprego. Outros fatores que sustentam o crescimento da economia alemã são o mercado de trabalho, as exportações e o aumento no setor da construção.

 

Nas previsões de inverno, avançadas em Fevereiro, a Comissão Europeia apontava para um crescimento de 1,6% em 2017. Já para 2018, as previsões eram de 1,9%.

 

A redução da taxa de desemprego e o aumento das exportações são dois dos indicadores destacados por Bruxelas. Sobre as exportações alemãs está previsto que aumentem 3,7% este ano e 3,9% em 2018.

 

No que toca ao consumo privado, a instituição prevê um aumento de 1,3% já este ano. Para 2018, este valor aumenta para 1,7%. É de referir que em 2016, este indicador que ajuda ao crescimento da economia alemã cresceu 2,0%.

 

A inflação alemã também fez parte das previsões de Bruxelas. Durante este ano está previsto que esta se situe nos 1,7%. O preço dos combustíveis é apontado como principal motivo para este valor.

 

A Comissão Europeia prevê que, durante este ano, a dívida pública do país será de 65,8% e de 63,3% em 2018.

 
 

Crescimento da economia alemã: taxa de desemprego continua a descer

 

Segundo as previsões da Comissão Europeia, a taxa de desemprego da Alemanha deverá cair para 4,0% este ano.

 

Os últimos dados avançados, relativos ao mês de maio, a taxa de desemprego voltou a descer. No mês passado este indicador situou-se nos 5,6%. Este valor mostra uma redução de 0,2% em comparação ao mês de abril.

 

No mês de maio existiam 2 498 000 desempregados na Alemanha. Este é o valor mais baixo registado no mês de maio desde 1991. Em comparação ao período homólogo houve um decréscimo de 166 000 desempregados.

 

Para 2018, a Comissão Europeia prevê que a taxa de desemprego desça para os 3,9%.

Pesquisar