Economia alemã cresceu mais do que o esperado no segundo trimestre

Publicado:

A economia alemã voltou a surpreender os especialistas com um crescimento superior ao esperado durante o segundo trimestre de 2018.

A economia alemã cresceu mais do que o esperado durante o segundo trimestre de 2018. Durante os meses de Abril, Maio e Junho, a maior economia da União Europeia teve um crescimento de 0,5%. Esta subida é comparativa ao primeiro trimestre de 2018.

As estimativas avançadas pelos economistas consultados pela Reuters previam um crescimento de 0,4%. No entanto, o PIB alemão cresceu mais 1% do que as previsões feitas.

Os dados avançados pelo gabinete federal de estatísticas – Destatis – mostram que existem três fatores que levaram a este crescimento. O consumo privado e público e o investimento, sobretudo orientado para os bens de equipamento e construção, são as principais razões.

As exportações alemãs também tiveram influência no crescimento do PIB nacional. No entanto, é de realçar que as importações cresceram a um ritmo mais acelerado do que as exportações durante este período.

Em comparação ao período homólogo – primeiro trimestre de 2017 -, a economia alemã cresceu 2,3%. Os dados provisórios avançados pela Destatis mostravam um crescimento apenas de 2% face aos primeiros três meses de 2017. No entanto, depois de revistos, houve um aumento de 0,3% face ao previsto.

Este crescimento do PIB alemão veio, mais uma vez, superar as expectativas e previsões dos especialistas. Segundo as previsões feitas, durante o segundo trimestre, e face ao período homólogo, a economia alemã iria crescer 2,1%. Os resultados finais superaram esta previsão em 0,2%.

Os resultados relativos ao primeiro trimestre também foram revistos. Durante os primeiros três meses do ano, a economia alemã cresceu 1,4% face ao mesmo período do ano anterior.

Inflação da economia alemã volta a descer em Julho

A inflação alemã voltou a descer no mês de Julho. Durante este período, a métrica económica fixou-se nos 2%. No mês de Junho, a inflação alemã tinha sido de 2,1%.

Este resultado veio prolongar e comprovar a tendência de descida que se estabeleceu desde Maio. Este é, assim, o terceiro mês consecutivo de descida da inflação germânica.

Pesquisar